22.5.11

Deus era a serpente e não o embuste moralista do Genesis. Uma reinterpretação pessoal das escrituras.


Pintura renascentista da expulsão do Paraíso 



Ouroboros (ou oroboro ou ainda uróboro) é um símbolo representado por uma serpente, ou um dragão, que morde a própria cauda. É um símbolo para a eternidade. Está relacionado com a alquimia, que é por vezes representado como dois animaismíticos, mordendo rabo um ao outro.. É possível que o símbolo matemático de infinitotenha tido sua origem a partir desta imagem.
O livro do Genesis - o primeiro livro da bíblia-  tem suas belezas imagéticas e sua importância para o reservatório histórico, literário, ético e moral da humanidade. Mas tem também suas contradições, muitas inclusive.  Por séculos a passagem em que Deus tira Eva- a primeira mulher- de uma costela de Adão- o primeiro homem-  foi usada para justificar todo tipo de abusos contra a mulher por se interpretar dessa passagem uma determinação divina de submissão da mulher ao homem.  É a recente e nova interpretação de que essa passagem diz ser a mulher, por ser  tirada da costela , alguém que está ao lado e não atrás ou a na frente do homem.  No catolicismo a interpretação desse livro está sempre sujeita as autoridades eclesiásticas  e seus documentos “ O magistério” . Nas comunidades evangélicas há tradição da livre interpretação herdada de Lutero, mas isso não aponta uma evolução na maioria das vezes. Mantém sempre a base de um moralismo exarcebado e crença em acontecimentos fantásticos que beiram ogrotesco. 

A  reinterpretação da bíblia não é algo novo. A mais celebre reinterpretação dos textos foi feita por Santo Agostinho de Hipona- Teólogo e Filosofo-  que sofreu grande influencia de pensadores  gregos- bem distantes do pensamento cristão-judaico -  como Platão por exemplo. A teologia da Libertação - nascida nas periferias da America Latina-  causou impacto com seu método indutivo de interpretar as escrituras e a própria  noção de cristianismo.  Assim me sinto então a vontade em meter a mão nesse balaio de gato e expor minha reinterpretação pessoal de uma passagem do Gênesis; a expulsão do Homem do Paraíso o pecado e a queda.  Talvez faltem partes relevantes em minha analise, talvez haja algumas lacunas a serem preenchidas em minha tese. Mas é tudo muito natural, pois é apenas um pequeno artigo emitindo uma visão pessoal e não um tratado teológico ou sociológico do texto bíblico.

Leia a passagem bíblica referida em  GENISES 

A imagem que se pintou do Deus biblico sofreu sempre influencia do deus da mitologia grega , Zeus.


Percebam que de repente o Deus amoroso - um artista-  some da historia e ressurge severo e proibitivo. Cria, mostra, mas no entanto proíbe o primeiro casal a comer de uma arvore cujo o fruto contem a Ciência do bem e do mal; é um fruto que contem o perigoso suco do Conhecimento.  É um ser representado por uma serpente então que chega e diz aos dois sobre o fruto, sobre suas propriedades de “abrir os olhos” .   Nessa parte logo se insinua que a serpente seria o tal Satanás, o demônio  que seria formado e lapidado ao longo da historia cristã  como uma entidade decaida, tão poderosa que até parece um deus ou no mínimo um semi-deus.  Mas sem mais rodeios eu não acredito nisso. Tenho pensado seriamente que houve uma armação aqui nesse texto bíblico. Depois de comerem do fruto o casal viu que estavam nus! Sim como aquele rei bobo da fabula que acreditava usar uma roupa que só os inteligentes podiam ver, e uma criança revela a todos os bobos que na verdade ele estava era nu! Então Deus chega pisando forte como um ditador e ao ouvirem seus passos, o casal sente vergonha de Deus e se vestem com folhas; na verdade parecem sentir medo. Medo de Deus. Esse é o grande mal que a religião institucional causa nos seres humanos, medo. A doutrina do medo que gera então a doutrina doente  excludente do merecimento; fazer tudo certinho para não cair no inferno e merecer o céu. Assim crentes de todas as religiões se julgam melhores que os que não fazem parte de sua confraria.  Essa noção de “escolhidos” é a base do fundamentalismo e de todo tipo de sandice feita pelas religiões ao longo da historia. Mas voltando ao assunto: a serpente é oDeus de verdade nessa historia! O outro que surge na historia e o texto diz ter expulsado o casal é um embuste. A serpente é um antiqüíssimo símbolo de sabedoria e imortalidade, por que surge na bíblia como uma figura que representa o mau?
O genises- é claro que você sabe disso- não é um texto histórico, é um parábola ilustrativa e não foi escrito quando o mundo começou, você sabe disso também.  Não há consenso sobre quando o Gênesis foi escrito, mas alguns estudiosos do assunto apontam que sua redação final aconteceu em torno do século 5 AEC, durante o período pós exílio quando a comunidade judia se adaptava à vida sob o império persa. desconfio que seja por isso que der repente o Deus amoroso e inspirado que criou o mundo- essa parte seria do texto original- de repente ressurge na historia tão mudado e a serpente, símbolo das ciências, surge encarnando o mau que depois se tornaria o demônio.  O certo é que o autor ou autores desse texto se serviu de varias lendas já existentes entre os povos vizinhos-  entre eles os Sumérios e Mesopotâmios -  e as adaptou a visão eclesial judaica que já estava sendo formada. 
        

Na passagem em que o casal aceita comer desse fruto, mais uma vez por séculos  a ousadia da mulher em comer e ainda oferecer ao homem do fruto foi usada para jogar a mulher no canto da historia humana e relegar a ela o papel de responsável pela queda e pela introdução do pecado na vida.  Mas desmascaramos a armação e revelamos que na verdade era a serpente Deus e aquele deus estranho um impostor o ato da mulher torna-se então um ato de coragem e sabedoria. Sim, a mulher sempre se mostra mais pratica e dada a ações mais virtuosas que o homem, é fato.  Diz o texto que Deus os expulsa do Paraíso; não creio nisso. Acho que eles ao terem seus “olhos abertos’ e descobrirem que estão nus saíram desse “Paraíso” como se saíssem da “caverna de Platão”  onde viviam uma encenação segura da realidade. Saindo de paraíso de rivotril escolheram a aventura da vida real, com suas alegrias e tristezas dores e prazeres,  escolheram estarem vivos.  A más intenções de desse falso deus do Gênesis já aparece que quando dá ao homem a incumbência de classificar os animais e nomea-los; o homem que era então um com o universo - não havendo a necessidade de nomes para diferenciar-se- torna-se agora um tolo “senhor das coisas“.
Ilustração para o Mito da Caverna de Platão 

Perceba a crueldade  desse “deus”  quando se diz no texto que ele castigou o casal e a serpente.  “ Parirás com dor”  “ Tirará o seu sustento com o suor do seu rosto”. Assim o texto desvirtua já de inicio duas coisas sublimes;  o dom da maternidade e valor do trabalho. Isso só pode mesmo ter sido escrito por alguém de algum clero restrito só a homens que eram sustentados por sua comunidade de crentes.  E a serpente diz-se  que foi amaldiçoada a rastejar no chão e na poeira. Então a serpente seria um Deus que conhece o chão e poeira, isso é ótimo. O chão onde pisa os pés descalços do pobre. O chão de onde surge a vida naturalmente e plantada pelas mãos do ser humano. O Chão para onde o corpo volta ao fim dessa vida e se torna de novo um com a terra.
 
Com esse texto Santo Agostinho inventa o pecado original – no qual Judeus e Mulçumanos não crêem-  e daí para frente toda a cristandade carrega os ombros já muito cansado da humanidade com esse peso, até as crianças recém nascidas.   Me junto a teólogos como Leonardo Boff e ouso chamar a todos a inventar proclamar apenas a existência da Graça Original.


Victor Viana @VianaBuzios 


Victor Viana é teólogo formado na Universidade Laical da Igreja Invisível 

8 comentários:

  1. Oi Victor, quanta soberania em você eu senti lendo esta sua reinvenção. Um brinde à leveza das escolhas conscientes de como olhar a vida e a existência. É, Deus é a serpente... Eu sou Deus também, Você é Deus também... Liberdade é Deus... A Vida é Deus em tudo que integra, em tudo que inclui e em tudo que ama incondicionalmente...
    Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Gosto da frase de um escritor que me influenciou e ainda influencia - Nelson Coelho- que diz assim: " Deus é o espaço entre eu e o -você- leitor". sou um ZEN CRISTÂO srsrsr se isso for possível, claro.

    ResponderExcluir
  3. Victor, você sabe que atualmente eu sou agnóstico. Então a existência de Deus para mim é uma coisa quase totalmente sem significado.

    Porém, seu texto está muito bom. Gênesis é contraditório e nem tão bem escrito. Afinal, como haveria plantas antes do sol, e animais feitos com forma de carnívoros sendo vegetarianos. Jogar isso para baixo de tapete foi o que a igreja sempre fez. Muito mais importante é olhar a intenção do autor ao escrever o texto, não interpretá-lo literalmente.

    Tenho pouco conhecimento em teologia, mas sua interpretação foi a melhor que vi até hoje e como se trata de um assunto que não há porque se esgotar. Por que não reinterpretá-lo? Claro, a igreja vai se contorcer com a sua visão. Mas, eu a acho muito lógica e como não estou nem aí para a igreja. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Arildo fico feliz em receber pela primeira vez seu Comentário aqui. Eu também nãoa credito mais em Deus da forma que acreditava antes, só expus minhas idéias usando a forma estética escolhida pelos autores do genises. Ah as contradições dos fenômenos naturais acho que oficialmente a igreja já assumi. O que é novo nesse texto é a interpretação dos conceitos básicos do cristianismo. Sua participação foi uma honra mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Arildo Guimarães24 de maio de 2011 01:56

    Victor,

    Obrigado, eu já deveria ter participado a mais tempo. Aliás, aquela entrevista que dei a muito tempo.Que ninguém a leia, porque, lá tá cheio de ironia... Bom, alguém me fez mudar muito de lá para cá.

    Porém, voltando ao assunto do Gênesis, você tem razão a Igreja já assume que é um texto apenas ilustrativo. Inclusive ela é contra o ensino do Gênesis como verdade científica, apoiando a evolução ( Nisso a Igreja avançou, a de dar a mão a palmatória que eles tem grandes cientistas e não ficariam fechados a um visão do Sec. XVIII.)

    Com certeza o que não avançou foi uma interpretação que tire do homem a culpa pelo pecado original, ou pelo menos se reconheça outros conceitos para o cristianismo. Sem medo, sem culpa, sem pecado original. Nisso você tem toda razão e seu texto está ótimo.

    Mas, infelizmente amigo não existe apenas a Igreja Católica. O que me põe medo são essas novas e velhas denominações cristãs. Essas tem o Gênesis da forma como é como verdade dogmática e aí de quem tentar mudar isso. Eu já li o cúmulo sobre o dilúvio. (Que Noé e sua família voaram em dinossauros para coletar espécies de longe para levá-las a arca. Pode uma coisa dessas?) E o pior quem escreve essas sandices o escreve como se fossem verdades científicas. Eles usam de todos os estratagemas para tentar explicar o que é óbvio. Inclusive modificam textos de cientistas, usando apenas partes, tirando os do contexto. Eles são terríveis. Não culpo os fiéis, esses são vítimas. Mas, os lá de cima que manipulam mesmo e cometem esses tipos atrocidades. Eu escrevo um artigo e digo que "Parece que foi feito por Deus." Aí eles pegam apenas essas parte e dizem que fulano de tal, cientista renomado disse isso. Eles escondem a parte científica da explicação. Tem um nome para isso.

    A verdade que para a ciência a existência ou não de Deus é fora de questão. Já que por se tratar de metafísica, não há como falsear e foge a demarcação de Popper. Então para a ciência, a existência ou não de Deus está fora de questão. Isso é discussão para a Filosofia.

    Nossa, eu fugi do assunto né? Mas, o que eu queria dizer é isso. Sua visão está ótima. A Igreja Católica não vai aprovar, embora ela aceite Gênesis como metafórico. Porém, as evangélicas, essas vão se retorcer de raiva. Porque, você além de dizer que Gênesis é metafórico, ainda tira do homem a culpa e o medo...
    Porém, eu acho que o caminho é esse mesmo. Tá ótimo o texto e deixe que eles se mordam.

    Na verdade eu uso o termo agnóstico por falta de um melhor, mas eu acho que estou mais para Deísta. Aceito que haja uma força superior, só não vejo a necessidade de nomeá-la e creio que essa força superior esteja em fina sintonia com o universo, vibrando em perfeito estado. E creio na lei do retorno. Acho que fazer o bem, só pode nos trazer o bem. Pelo menos paz na consciência. Depois da morte não espero nada. Aliás, não faço nada esperando recompensa, nem nessa vida, nem em outra se houver.

    Continue a escrever bons textos. Mesmo que eu os critique, será sempre na intenção de mostrar que ele pode ser melhorado. Nunca farei uma crítica vazia ou elogio por você ser meu amigo. Não me considero gênio, mas sou livre para dizer que gosto ou não e dizer os motivos, pelo menos sou livre para isso. Elogio, por elogio acho que não acrescenta nada.

    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Genesis certamente é uma metafora de certo que quando Deus aponta aquela arvore dizendo que daquela arvore não deviriam provar,desperta o SER HUMANO que curioso a prova ,onde não se deve ir ele vai o ser humano que vive quebrando regras que vive buscando o conhecimento buscando a verdade sempre sempre foi assim os evangelicos ou cristão quando realmente estão sendo usados de sabedoria divina tocam na mais sabia das palavras que cristo usou Buscai a verdade e a verdade vos libertará acredito que quando se fala em deus sempre buscam referemcias de santos pastores as palavras da biblia e na maioria das vezes são mal interpretadas,e esquecemos dessas palavras que define tudo que é Deus, Deus é a verdade e a vida.Ainda a muitas coisas a serem compreendidas por nós seres humanos incredulos a tudo.

    ResponderExcluir
  7. a verdade vos libertará! Essa grande frase de Cristo é esquecida em todas as intituições cristãs pois estão sempre esconde erros, escandalos, e inclusive a real interpretação de textos. Não sou incrédulo a tudo. Mas nãoa credito mais nas instituições religiosas, mas as respeito.

    ResponderExcluir
  8. Simples como uma criança vê... Como poderia haver um demônio real se "TUDO é DEUS"??
    Pela física, não poderia haver dois corpos ocupando o mesmo espaço.. ter um vácuo de DEUS...assim acho melhor reescrever tudo ou melhor, anular tudo... Boa a forma como vc tenta desmistificar essas baboseiras que atravessaram os séculos, o tal obscurantismo. Com esse nome não deveria ter nada claro ou verdadeiro...no escuro é dificil ver alguma coisa com precisão.
    Eu tenho a teoria do teatro...imagina-se a cena, coloca em ação, depois saem todos bem amigos para comemorar o resultado.
    A grande sacada é saber sair da cena e comemorar o aprendizado.
    Parabéns.

    ResponderExcluir